quinta-feira, 16 de agosto de 2007

Soneto ao Sol





Símbolo máximo da perfeição
Fonte de toda a vida na terra
Vivendo como um antigo asteca
Por ele tenho muita devoção

Com a luz que me traz inspiração
E a onda de calor que me acerta
Sinto-me feliz e mais alerta
Em uma tarde quente de verão

Um rei que se morrer não morre só
Merece toda a admiração
Daqueles que existem ao seu redor

Um grande e pulsante coração
Que pode destruir tudo sem dó
Ou dar ao mundo sua proteção
Ass.: Márcio Beckman.

5 comentários:

Poeta da Lua disse...

deixo-te aqui em meio ao silêncio...
um abraço e um sorriso!

Um Momento disse...

E fascinas-me com as tuas palavras
Um grande e pulsante coração
Me parece ser teu
Beijo ... bem aí
Bom fim de semana
(*)

ana wagner disse...

Márcio, me ensina a fazer sonetos? rs
Confesso que não consigo fazer e o teu está maravilhoso! Um beijo,poeta!

Lari Nakao disse...

Márcio, que talento hein.
Você tem uma sensibilidade enorme. E pelo visto a produção é constante pois sua atualização tá muito rápida para eu acompanhar!

Claudia Fernandes disse...

Amém.
Bjo.