sábado, 30 de maio de 2009

Paraíso Perdido



O meu universo paralelo
É um paraíso perdido
Saí de lá de repente
Sem ter consciência disso

Lá é a terra do sol
Das praias de eterno verão
Lá é onde o calor das pessoas
Aquece o nosso coração

Distante do mundo do frio
Vivia feliz e satisfeito
Mas achava-me mal colocado
E via lá muitos defeitos

Agora só sinto saudades
Pois terei que por aqui ficar
Distante da areia e do sol
E longe da brisa do mar

Lá é que há gente animada
Nas festas e nos carnavais
É mesmo uma ilha encantada
Um tempo que não volta mais

Mas aqui também pode ser bom
É questão de me adaptar
Decerto terei de aprender
A viver neste novo lugar

Um mundo frio sem sol
Um mundo frio sem areia
Um mundo frio sem mar
Mas ainda assim repleto de sereias
_
Ass.: Márcio B. S.
_
P. S.: Poesia escrita no periodo entre 2002 - 2005. Resolvi posta-la aqui hoje porque tive um momento nostálgico, conversando sobre a minha saudosa São Luis, durante o almoço.
_
Ouça: César Nascimento - Ilha Magnética

6 comentários:

Vanda Paz disse...

Por vezes mudamos o espaço que sempre nos pertenceu, mas é bom recordar e revivermos assim os momentos já vividos

Beijinho

Viviane de Campos disse...

tava vendo o seu blog.... vc escreve bem rapaz...
parabéns....

Bruna disse...

Você por aqui...

Rafaela disse...

adoro dias nostalgicos. é bom.

Sentilavras disse...

Que Gonçalves Dias mais conformado!! Hehehe... Mas aí, já voltou pra visitar sua terra-mãe?

Tangerine disse...

Então quando apareces por aqui?
Olha que o São João já vai começar. Um São João meio alagado, meio só com cara de Sarney, mas divertido mesmo assim hahahaha.