quarta-feira, 20 de maio de 2009

Amor Transcendente



É difícil ser poeta
Mas é fácil pensar nela
É difícil ganhar pouco
Mas por ela sou louco
É complicado ser terapeuta
Se para estar com ela a vida inteira
É preciso muito esforço

É difícil não dirigir
Se ela está longe de mim
É duro não ver chegar
O futuro a almejar
É difícil viver tranqüilo
Pois a quero sempre comigo
Precisando para isso
Ter meu nome no mercado

Ó, difícil romantismo
Neste mundo onde o capitalismo
Lhe vende e não dá espaço!
Incomum e ultrapassado
Virou só figurativo
Do dia dos namorados
_
Ass.: Márcio B. S.

5 comentários:

Rafaela disse...

Sobreviver nesse mundo né fácil, não. Até o amor, que deveria ser simples, fica difícil também.

ana wagner disse...

Olá Márcio! Estou te devendo mil visitas, além de ser algo muito agradável vir aqui te ler. Agradeço tuas constantes visitas e saiba que adoro quando apareces, pois acho que sentes realmente o que quis dizer. Beijão!
Aninha

Entorpecida(a)mente: ... @ n@h! disse...

pior....
tu tem razão!
e bem isso mesmo!
mas em se tratando de amor ta valendo todas dificuldades todas as complicações...senão não tem graça

bjoca....

Claudia Fernandes disse...

Que bonitinho!!! Adorei, Marcinho.

Mas ainda acho que o mais legal
é o nadar contra a corrente.
É ser o diferente, o marginal.
Se posso ser eu, um ser diferente
Por que seria um chato, mais um igual?

Bjooo..


P.S. Obrigada pelo carinho, viu, meu lindo?

Gabriel disse...

É, esse tal dia dos namorados é realmente um problema. Nadar contra a corrente é um privilégio que não é comum a todos nestes dias desleais.

Mas a criatividade há de vencer o consumo, e existirão alternativas de sorrisos mais abundantes do que anúncios de refrigerante (ou assim espero).

abraços!