quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Desembarque




Chegamos ao final, à última estação
Nos trilhos o trem vai parando
E todos desembarcando
Percorremos um longo caminho
Divididos em vagões distintos
Às vezes éramos grupos, às vezes indivíduos
Porém, rumamos na mesma direção
Seguimos a linha do tempo para além da ilusão
Chegamos ao futuro, ó maravilhoso porto inseguro!
À terra de nossos sonhos
Seguiremos caminhos estranhos
E estranhos entre nós, seremos
Mas todos unidos num só pensamento
De que este não seja o final
Teremos longa vida profissional
Pois seremos vidas em uma profissão
De início perdidas em meio à confusão
Mas essa inquietude será nosso motor
Que nos fará prosseguir a todo vapor
E aprenderemos com nossos erros
Crescendo com nossos acertos
Tornando-nos humanos melhores
Aos tornarmos os humanos melhores
Em sigilo colaboraremos
E eventualmente nos reuniremos
Pois nos encontraremos nas dificuldades
Mais do que nunca nas afinidades
Estaremos em toda parte
Acolhendo o sofrimento
Desenterrando tormentos
Dissolvendo conflitos
Libertando gritos
Usando instrumentos de exploradores da mente
Chegaremos às raízes, seremos pacientes
Mergulharemos, sem temor, no profundo inconsciente
Até nosso último fôlego presente

Ass.: Márcio Beckman.
_
P. S.: Esta poesia foi recitada como mensagem final na colação de grau da minha turma de psicologia. Eu a posto aqui como uma homenagem aos meus colegas que tanto deixaram saudades.
_
Ouça: Maria Rita - Encontros e Despedidas

Um comentário:

Márcio B. S. disse...

Sem comentários quer dizer q a coisas é boa, não é?